Controlando a dor da cirurgia da mama

Em um trabalho de equipe, os próprios cirurgiões também podem realizar bloqueios específicos ao término das cirurgias a fim de obter melhor controle da dor no pós-operatório.

As cirurgias da mama estão entre os procedimentos mais comuns e, nos dias atuais, seria inadmissível que eles não fossem acompanhados de segurança e conforto para os pacientes.

O médico anestesiologista faz parte da equipe cirúrgica e é fundamental para que o paciente tenha uma cirurgia tranquila, segura e, claro, sem dor. A escolha da melhor forma de anestesia vai depender da história de cada paciente, da técnica cirúrgica a ser usada, do posicionamento da paciente na mesa cirúrgica e das possibilidades em recursos disponíveis para cada hospital.

Recomendamos a nossos pacientes que façam consultas com o anestesiologista antes da cirurgia. Desta forma, espera-se reduzir os níveis de ansiedade através de um diálogo franco, criando uma relação médico-paciente capaz de esclarecer as dúvidas ao redor do procedimento.

Foto: Divulgação

Além da anestesia geral, onde o paciente é adormentado e possui sua respiração controlada por um aparelho sob supervisão do anestesiologista, existem outras modalidades de analgesia que podem ser usadas juntas ou isoladas para propiciar uma cirurgia sem dor. Os bloqueios são anestesias as quais o anestésico é aplicado diretamente nos principais nervos relacionados com as mamas. São procedimentos simples, contudo exigem destreza do anestesiologista para, muitas vezes sob orientação ultrassonográfica, localizarem o ponto exato por onde passam os nervos e neutralizarem sua função durante e, também, após a cirurgia, propiciando um relaxamento do paciente, sem dores e permitindo que o cirurgião trabalhe tranquilamente.

Em um trabalho de equipe, os próprios cirurgiões também podem realizar bloqueios específicos ao término das cirurgias a fim de obter melhor controle da dor no pós-operatório.

O controle da dor relacionada à cirurgia mamária precisa ser levado a sério e é fundamental no pós-operatório. 

Gustavo Zucca

Mastologista, pós-doutorado pela Unesp, especialista em oncoplastia e cirurgia reconstrutora da mama pelo Instituto Europeu de Oncologia – Milão.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: