As vacinas contra a Covid-19 e as mamas

Inflamação de ínguas axilares pode ser reação ao imunizante.

Muitas mulheres acabam sobressaltadas ao constar, na mamografia ou na ultrassonografia, que estão com ínguas ou gânglios inchados nas axilas, acreditando ser algo maligno nas mamas. Esses linfonodos podem estar inflamados apenas por reação às vacinas contra a Covid-19, não sendo necessária a punção, nem cirurgia.

“Essa inflamação regride entre 15 a 30 dias e não há motivo de preocupação. É como se fosse uma febre, sem nenhuma relação ao câncer. Se não puder adiar o exame, avise o médico que foi imunizada e ele saberá ter uma leitura mais precisa dos exames”, afirma o mastologista Gustavo Zucca.

O mastologista, Dr. Gustavo Zucca, explica a relação das vacinas de combate a Covid-19 com as mamas
Foto: Divulgação

O médico também ressalta que todas as vacinas disponibilizadas pelo Ministério da Saúde são seguras para quem está em tratamento do câncer de mama, mas sugere também um espaço de tempo entre a vacinação e os processos de terapias.

“O correto é tomar a vacina com intervalo de 15 dias entre as sessões de quimio e radioterapia, ou mesmo da data da cirurgia, para que seu corpo tenha maior imunidade e consiga produzir melhor os anticorpos contra a Covid”, esclarece dr. Zucca.

Foto: Divulgação

A mamografia deve ser feita anualmente a partir dos 40 anos. O câncer de mama é o que mais atinge as mulheres, apesar de também acometer homens. Segundo estimativa do Instituto Nacional do Câncer, INCA, mais de 66 mil novos casos devem surgir este ano no Brasil. Com o diagnóstico precoce, há chances de 95% de cura.

Renata Canales

É jornalista, graduada em Comunicação Social pela Escola de Comunicações e Artes da USP, com habilitação em Rádio e Televisão, e habilitação em jornalismo pela Universidade de Ribeirão Preto. Além de ser Mestre em Filosofia da Educação pela Universidade Federal de São Carlos.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: