Confira o que acontece no agronegócio

O que acontece durante a semana no agronegócio você acompanha aqui na Intertv Web.

O colunista Gustavo Batista traz toda semana na coluna “Agro Minuto”, o que aconteceu na semana no mundo do agronegócio. Acompanhem!

UMIDADE INVERNO

O inverno de 2020 apresentou maior ocorrência de dias com umidade relativa do ar abaixo de 20%. Foram 20 dias com umidade relativa do ar em alerta. Os índices são os mais baixos dos últimos cinco anos. A seca elevou a temperatura em até três graus a mais que em outros anos e trouxe menos chuvas. A deficiência de água pode atrasar o início do plantio de soja e de milho e aumentar o gasto com irrigação para culturas como as hortaliças.

(Fonte: IAC)

SOJA E AMENDOIM SAFRA 2019/2020 de SP

A tendência de expansão territorial da cultura da soja no estado de São Paulo, iniciada na safra 2008/09, se mantém com aumento de área (2,7%), alcançando 1.101,3 mil hectares. A produção cresceu 18,3%, recorde ao alcançar 3,8 milhões de toneladas em 2019/20, e a produtividade foi 15,2% superior a obtida no ciclo anterior. Este rendimento por hectare é o maior dos últimos 20 anos. 

Campeão em aumento de área e produção, o amendoim em grão emplacou uma produção de 624,8 mil toneladas na safra agrícola 2019/20. Este resultado reflete um aumento de 33,2% em relação à safra passada, por conta do acréscimo de 22,1% na produtividade agrícola. Produtores rurais aproveitam a entressafra da cana-de-açúcar para cultivar o grão, permitindo a recuperação do solo por meio da fixação de nitrogênio, além do aumento na receita gerada nas fazendas.

(Fonte: IEA)

O inverno de 2020 apresentou maior ocorrência de dias com umidade relativa do ar abaixo de 20%
Foto: Revista Globo Rural

TOMATE E BORRACHA 2019/2020 em SP

A estimativa final da safra da borracha paulista apresentou uma produção de 247,7 mil toneladas de coágulo de látex, 1,7% maior do que a produção da safra 2018/19, mas exibiu perdas de 3,1% na produtividade. A área total com os seringais permaneceu praticamente inalterada com 135,5 mil hectares. A área produtiva, porém, expandiu-se, passando de 98,7 mil hectares para 103,6 mil hectares, em virtude da passagem dos pés novos para pés produtivos.

Para o tomate envarado ou de mesa, o levantamento apontou produção de 771,5 mil toneladas, 14,1% maior que a obtida na safra passada, reflexo da expansão de 16% na área cultivada (passando de 8,7 mil hectares para 10,1 mil hectares). Esse bom resultado é derivado da soma das produções das duas safras (verão e inverno).

No caso do tomate rasteiro, destinado à indústria, o levantamento aponta expansão de 18,5% na área e produção prevista em 254,8 mil toneladas, 22,6% maior na comparação com a safra 2018/19, expectativa que será verificada em novembro, quando ocorre o encerramento da colheita.

(Fonte: IEA)

EXPORTAÇÕES AGRO em SP

Nos primeiros oito primeiros meses de 2020, o agronegócio paulista aumentou as exportações em +10,7%, alcançando US$11,10 bilhões, e queda nas importações de 13,9%, totalizando US$ 2,73 bilhões. Com estes resultados, obteve-se superávit de US$ 8,37 bilhões. Número 22% superior ao mesmo período de 2019. As vendas do setor representaram 42% do total comercializado no estado.

Os cinco principais grupos nas exportações foram: complexo sucroalcooleiro (US$ 3,61 bilhões) complexo de soja (US$ 1,81 bilhão), setor de carnes (US$ 1,47 bilhão) produtos florestais (US$ 1,02 bilhão) e sucos (US$ 845,11 milhões) Esses cinco agregados representaram 78,9% das vendas externas setoriais paulista.

(Fonte: IEA)

O tomate rasteiro, destinado à indústria, aponta expansão de 18,5% na área e produção prevista em 254,8 mil toneladas, 22,6% maior na comparação com a safra 2018/19
Foto: Carlos Costa

CONSUMO VEGETAIS

Estudo sobre hábitos de consumo mostra que 90% dos brasileiros se dispõem a ingerir alimentos derivados de plantas e vegetais. É a taxa mais alta entre os países pesquisados (Brasil, Argentina, Chile, Colômbia e Peru). Em relação aos fatores de decisão, o principal motivo é o cuidado com a saúde (56%); depois, porque são mais nutritivos (28%) e para experimentar novos sabores (26%).

SAFRA CAFÉ

No 3º Levantamento da Safra 2020 de café, a Companhia Nacional de Abastecimento indica que o Brasil deve colher 61,6 milhões de sacas beneficiadas, considerando-se os tipos arábica e conilon, aumento de 25% em relação ao ano passado. É a segunda maior safra brasileira de todos os tempos, atrás apenas da colheita de 2018, quando a produção chegou a 61,7 milhões. A área total é estimada em 2,2 milhões de hectares.

O grande destaque é o café arábica, que tem produção estimada em 47,4 milhões de sacas, crescimento de 38,1% sobre o ano passado e se aproximando do recorde de 47,5 milhões de sacas alcançado na bienalidade positiva anterior (2018). Neste ano, o clima foi favorável nas fases de floração e frutificação.

São Paulo deve colher 6,2 milhões de sacas de arábica. A maior parte na região da Alta Mogiana.

(Fonte: CONAB)

Estudo sobre hábitos de consumo mostra que 90% dos brasileiros se dispõem a ingerir alimentos derivados de plantas e vegetais
Foto: Cultura Hebraica

VENDA CAFÉ ESPECIAL

O Brasil exportou entre janeiro e agosto o equivalente a 4,4 milhões de sacas de 60kg de cafés especiais. O volume físico correspondeu a 16,8% do total de café exportado e representou o segundo maior volume do mesmo período nas últimas cinco safras. A receita cambial obtida com essas exportações foi de US$ 721,1 milhões, montante que correspondeu a 21,4% do total gerado.

CONSUMO CAFÉ

A estimativa do consumo mundial de café no ano-cafeeiro 2019-2020 é de 168,39 milhões de sacas de 60kg, o que representa um crescimento de 0,3% em relação ao ano-cafeeiro anterior, que foi de 167,84 milhões de sacas. A demanda crescente no início da pandemia global devido ao maior consumo em casa, agora apresenta uma estabilidade devido à prolongada crise econômica e à lenta recuperação do consumo fora de casa.

A estimativa do consumo mundial de café no ano-cafeeiro 2019-2020 é de 168,39 milhões de sacas de 60kg
Foto: Divulgação

ATUALIZAÇÃO SAFRA CANA

A quantidade de cana-de-açúcar processada pelas usinas do Centro-Sul totalizou 44,39 milhões de toneladas na 1ª metade de setembro, aumento de 12,08%, e já alcança no ciclo inteiro 459,45 milhões de toneladas – crescimento de 4,56%. No acumulado, a produção de etanol alcançou 21,26 bilhões de litros, dos quais 14,90 bilhões de litros de etanol hidratado e 6,36 bilhões de litros de etanol anidro. Já a produção de açúcar atingiu 29,07 milhões de toneladas, contra 20,05 milhões de toneladas em igual período de 2019.

(Fonte: ÚNICA)

COLHEITA JABUTICABA no Estado de SP

Já começou a colheita de jabuticaba. O estado de São Paulo é o maior produtor da fruta no Brasil. Segundo a Ceagesp, das 2 mil toneladas recebidas e comercializadas por 39 atacadistas em 2019, 98,54% vieram de propriedades paulistas. A cidade de Casa Branca é considerada a capital da jabuticaba no estado. O município tem 22 mil jabuticabeiras – 17 mil na área rural e cinco mil pés espalhados de forma difusa na área urbana. As plantas comerciais estão distribuídas por 141 hectares de 47 produtores. A média de produção é de 90kg por planta, o que faz a safra alcançar 2 mil toneladas na cidade.

(Fonte: Secretaria estadual de Agricultura de São Paulo)

Já começou a colheita de jabuticaba, o estado de São Paulo é o maior produtor da fruta no Brasil
Foto: Divulgação

VACINAÇÃO AFTOSA

Dados parciais da primeira etapa de vacinação contra a febre aftosa em 2020 mostraram cobertura vacinal de 97,81% do rebanho de bovinos e bubalinos de todas as idades dos estados que já enviaram os dados para o Ministério da Agricultura. No total, já foram imunizados 166 milhões de animais. Dos 23 estados que praticam a vacinação, foram contabilizados os dados de 18 estados, um está em análise e outros três ainda não enviaram o relatório com os dados finais. O Estado do Amapá realiza a vacinação anual de todo o rebanho apenas no segundo semestre do ano.

(Fonte: MAPA)

Dados parciais da primeira etapa de vacinação contra a febre aftosa em 2020 mostraram cobertura vacinal de 97,81%
Foto: Divulgação

Gustavo Batista

Gustavo Batista é jornalista há 20 anos com pós-graduação em gestão de comunicação. Tem experiência em rádio, tv, assessoria de imprensa e meios digitais. Já atuou em canais de tv como TV Clube, TV Record e TV Thathi. Atua há 10 anos no setor de Agronegócio.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: