“O primeiro passo pra conseguir ser feliz na profissão que você quer é acreditar”

A nossa entrevistada de hoje é a musicista e educadora musical, Cintia Galan, que com apenas 23 anos tem uma linda trajetória instrumental.

Olá, seguidores da nossa Intertv Web! Nesse domingo (07/06) quem entrevisto na “Coluna Bate-Papo” é a jovem musicista e educadora musical, Cintia Galan Martesi. Com apenas 23 anos, a cravinhense já vivenciou muito na área musical, conseguiu fazer um intercâmbio, através do Projeto Guri, onde também foi aluna e hoje se tornou educadora musical.

Ela começou a aprender violão com 9 anos de idade no Projeto Guri – Polo de Cravinhos, depois foi aperfeiçoando a suas técnicas e até chegou a ficar algum tempo sem praticar, mas sabia que o instrumento estava em suas veias, por isso traçou o seu destino na música.

Vamos tomar um suco bem gostoso com a nossa entrevistada, o meu eu escolhi de laranja, e saber um pouco mais sobre sua vida, carreira profissional, próximos passos, sonhos e objetivos.

Foto: Arquivo Pessoal

Intertv Web – Olá, Cintia, tudo bem? Quando você começou a despertar o interesse pela música?

Cintia Galan Martesi – A música sempre me chamou muito a atenção, desde pequenininha, mas quando abriu o Polo do Guri em Cravinhos em 2006, meu interesse foi ainda maior.

Intertv Web – O que você aprendeu no Projeto Guri?

Cintia Galan – Além das músicas aprendidas no violão, aprendi sobre a música de outras culturas, aprendi a ter responsabilidade e compromisso e a trabalhar em grupo.

Intertv Web – Após sair do Projeto Guri qual foi a sua trajetória na música?

Cintia Galan – Fiquei um tempo sem estudar violão, mas depois eu senti muita falta da música no dia a dia e decidi prestar o vestibular para música. Então, eu fui até a escola Som e Arte e pedi que o professor David Costa, na época, me preparasse para a prova. Depois de algum tempo ingressei na USP Ribeirão Preto no curso de Música. No meio da graduação participei do MOVE, que é um intercâmbio pelo Projeto Guri, em que fiquei estudando música por 10 meses na Noruega. Retornei ao Brasil e no ano passado conclui a faculdade.

Cintia Galan começou a aprender violão com 9 anos de idade no Projeto Guri – Polo de Cravinhos
Foto: Divulgação

Intertv Web – O que o Projeto Guri significou em sua vida?

Cintia Galan – No projeto fiz amizades pra vida toda, tive experiências incríveis de poder tocar em muitos lugares, com muitas pessoas e até de gravar um CD! No geral, o Guri significa pra mim uma maior conexão musical e pessoal entre os seus alunos e o mundo.

Intertv Web – Hoje você se tornou professora do Projeto Guri, em Santa Rosa de Viterbo. Qual a sua sensação?

Cintia Galan – É um sonho de infância que está sendo realizado. Eu sempre quis retribuir o que eu recebi do Projeto Guri, e sinto que agora é o momento.

Intertv Web – Hoje é possível viver somente de música?

Cintia Galan – Sim! Com certeza! Mas é claro que tem seus desafios, como em qualquer profissão. O(a) músico (musicista) tem que ser muito versátil! É muito bom ser especialista em um determinado estilo musical, mas além disso o ideal é você ter flexibilidade pra tocar bem um pouco de tudo. Além disso, estar por dentro dos materiais didáticos para dar aulas também é muito importante, e até aprender outro instrumento paralelo ao seu, para abrir mais possibilidades! Tem trabalho dando aula de instrumento, ou aula de música em escolas, tocando em eventos, vivendo de tocar nos lugares, escrevendo partituras para outras pessoas, tocando em orquestra… são muitos os caminhos, mas geralmente o músico faz um pouco de todas essas coisas!

No projeto fez amizades pra vida toda e pode tocar em vários lugares, inclusive gravando um CD
Foto: Divulgação

Intertv Web – Quais instrumentos você toca?

Cintia Galan – Eu toco violão. Estudei um pouco de viola caipira, mas não lembro mais [risos].

Intertv Web – Quais são seus ídolos na música?

Cintia Galan – É uma pergunta difícil! Mas tem alguns artistas que são referência pra mim, como por exemplo, Fabio Zanon, Paulo Belinatti, Cristina Azuma e Celso Machado, que como compositores e intérpretes do violão solo me deixam sempre muito encantada quando os ouço. Mas também gosto muito de Maria Rita, Cássia Eller e Pitty![risos]. Eclético!

Intertv Web – O que você espera da música?

Cintia Galan – Espero poder trabalhar sempre com a possibilidade de fazer coisas diferentes, de poder usar minha criatividade, me expressar, refletir e levar reflexão para outras pessoas.

Depois de fazer intercâmbio na Noruega e se formar em música, atualmente, Cintia é educadora musical do Projeto Guri
Foto: Arquivo Pessoal

Intertv Web – Suas considerações finais.

Cintia Galan – O primeiro passo pra conseguir ser feliz na profissão que você quer é acreditar. No caminho você vai se comparar com seus colegas de profissão, mas isso não pode te diminuir de maneira alguma. Independente da sua profissão, cresça um pouco a cada dia, mas no seu ritmo. Especialmente aos estudantes de música que querem viver desta arte, desejo que nunca lhes falte confiança, dedicação e sonhos, pois esse é um alimento importante pra alma de todos nós, principalmente os artistas.

Kennedy Oliveira

É formado em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pelas Faculdades COC (atualmente Estácio). É pós-graduado em Comunicação: linguagens midiáticas, pelo Centro Universitário Barão de Mauá.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: