Alimentação saudável na melhora do herpes

O herpes simples é uma infecção viral comum, para a qual 99% da população adulta já adquiriu imunidade na infância e na adolescência, tendo infecção subclínica (assintomática) ou um único episódio, obtendo resistência ao vírus para toda a vida.

Esse vírus provoca infecção nos lábios e dentro da boca (especialmente na infância, a chamada estomatite herpética pelo herpes vírus 1), enquanto o herpes vírus 2, provoca lesões nos órgãos genitais e pode ser adquirido por via sexual, porém não exclusivamente dessa forma. A infecção pelo herpes vírus 1 e/ou 2 pode ser recorrente surgindo durante episódios febris por doenças de causas variadas, em mulheres no período peri menstrual e após exposição solar inadequada e sem proteção.

Enquanto as vesículas estiverem presentes com seu conteúdo líquido, o herpes simples é infectante. Um simples contato das mãos com as vesículas pode transferir o vírus para outras áreas do corpo, inclusive os olhos e também para outras pessoas que tiverem contato com a pele com pele ou mucosa infectada.

Algumas pesquisas mostram que existe uma relação entre a alimentação e a frequência e duração dos surtos do herpes. Alguns nutrientes podem interferir no desencadeamento do vírus, estimulando ou não o aparecimento de novas feridas. Dentre estes se encontram dois aminoácidos essenciais: arginina e lisina. Os estudos mostram que a arginina é capaz de estimular o vírus do herpes. Dessa forma, o seu consumo excessivo na dieta deve ser regrado pelas pessoas que apresentam surtos frequentes da doença.

A lisina, diferentemente da arginina, está associada à redução das feridas do herpes. Este aminoácido tem efeito significativo sobre a diminuição da replicação do vírus, pois contribui para a produção de enzimas, anticorpos e hormônios, os quais aumentam a imunidade e ajudam a combater a doença.

Assim, é aconselhável manter uma alimentação rica em alimentos fontes de lisina e evitar excessos de alimentos que possuem arginina em sua composição. As fontes de arginina são: chocolate, amendoim, nozes, gelatina, castanha de caju, milho, semente do tomate, semente de girassol, coco e aveia. As principais fontes de lisina são: carne, peixe, ovos, leite e derivados.

Além deste controle, a dieta equilibrada, rica em frutas e vegetais também é importante para evitar os surtos de herpes. Merecem destaque ainda os alimentos fontes de ômega 3, especialmente peixes e linhaça, capazes de melhorar o sistema imune. Neste grupo estão também os alimentos ricos em probióticos (iogurte e leite fermentados) que também elevam a imunidade.

Renata Dessordi

Renata Dessordi é nutricionista formada pela Universidade de Ribeirão Preto, especialista em Nutrição Clínica e Esportiva. Mestra em Alimentos e Nutrição pela Unesp. Doutoranda em Alimentos e Nutrição pela USP/Unesp. Auriculoterapeuta Francesa.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: