Dieta vegetariana

O que as pessoas questionam-se, é se os vegetarianos podem ter uma alimentação equilibrada e se é possível obter todos os nutrientes necessários para o nosso organismo ingerindo apenas vegetais.

Atualmente o número de pessoas que aderem ao vegetarianismo como linha de alimentação tem aumentado significativamente. Os motivos que levam uma pessoa a ser vegetariana vão desde a não preferencia por carnes até questões religiosas. Alguns ainda optam por não comer carne visando atingir melhores níveis de colesterol, prevenção de infarto, hipertensão arterial e outros. Além dos fatores citados, hoje em dia, as pessoas estão tendo uma visão mais ampla sobre a carne, que trata-se do sacrifício de animais, optando assim, por tornarem-se vegetarianas.

Existem alguns tipos de vegetarianos, que vão dos mais moderados em questões de alimentos de origem animal, até os mais restritos. São eles:

Ovo-lacto vegetarianismo: não consomem carnes, aves e peixes, mas fazem uso de ovos, leite e derivados;

Lacto-vegetarianismo: consomem apenas laticínios, vegetais e frutas. As carnes e os ovos são abolidos da alimentação;

Veganismo: excluem da alimentação as carnes, aves, peixes, laticínios, ovos, mel, mocotó e gelatina, todos os alimentos que possam ter alguma origem animal. Os adeptos desta linha, também não utilizam produtos de couro, seda, lã, linha e evitam comprar cosméticos e outros produtos fabricados por empresas que fazem testes em animais. Na prática, podemos dizer que é o mesmo que vegetarianismo estrito.

Há ainda os crudívoros (consomem apenas alimentos crus) e os frutívoros (consomem apenas frutas) que podem ser considerados tipos de vegetarianismo.

Foto: Divulgação

O que as pessoas questionam-se, é se os vegetarianos podem ter uma alimentação equilibrada e se é possível obter todos os nutrientes necessários para o nosso organismo ingerindo apenas vegetais. Pode-se sim obter uma dieta equilibrada, porém o plano alimentar deve ser bem elaborado, sendo que a retirada dos alimentos de origem animal deve ser complementada com outros tipos de alimentos.

O nutricionista deve observar a faixa etária de cada pessoa e necessita ter atenção especial com nutrientes como o zinco, vitamina B12, vitamina D, ômega 3, cálcio e ferro. Quando o planejamento alimentar está bem feito o vegetariano consegue uma boa quantidade de proteínas e aminoácidos na sua dieta.

Foto: Divulgação

Com relação aos suplementos, se a pessoa consegue ter uma alimentação variada, na maioria das vezes não há necessidade, porém se se a pessoa tiver alguma alergia alimentar ou não manter essa diversidade, pode ser que seja necessário a utilização de algum suplemento. O tipo de vegetarianismo também pode influenciar na necessidade de ingestão de algum suplemento, como a vitamina B12. Para esses casos recomenda-se exames laboratoriais periódicos que podem avaliar a necessidade ou não de reposição de vitaminas e minerais.

Portanto, o estilo de vida vegetariano não é sinônimo de deficiência de nutrientes e proteína se for realizado um bom planejamento alimentar, lembrando que mesmo as pessoas que comem carne podem estar em risco nutricional caso não mantenham uma alimentação variada.

Renata Dessordi

Renata Dessordi é nutricionista formada pela Universidade de Ribeirão Preto, especialista em Nutrição Clínica e Esportiva. Mestra em Alimentos e Nutrição pela Unesp. Doutoranda em Alimentos e Nutrição pela USP/Unesp. Auriculoterapeuta Francesa.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: