Alimentação infantil: o comer pouco

Os pais devem estar atentos se a criança após se alimentar fica satisfeita com a quantidade que comeu e se o seu desenvolvimento está dentro do normal.

A grande preocupação de muitos pais envolve a alimentação dos filhos e a quantidade que eles comem. Nos primeiros anos de vida da criança, a alimentação é uma fase nova e de descobertas e é normal com o crescimento a fase de instabilidade na aceitação das refeições. A comida, em certos momentos, não é o principal atrativo da criança e é normal a redução no apetite nessa fase. A redução no apetite está relacionada com a desaceleração do crescimento, portanto isso acaba impactando na ingestão dos alimentos.

Cada criança possui um organismo e um desenvolvimento distintos, sendo difícil estabelecer uma quantidade certa de alimentos a ser oferecida. Os pais devem estar atentos se a criança após se alimentar fica satisfeita com a quantidade que comeu e se o seu desenvolvimento está dentro do normal. Sendo assim, se a alimentação atende esses dois fatores é considerada adequada.

Foto: Divulgação

Os pais devem buscar estimular os seus filhos a se alimentarem sem oferecer recompensas e sem brigas e discussões no momento da refeição. Estimuladores de apetite podem ser dispensados e os pais podem seguir as seguintes dicas:

– O momento da refeição deve ser agradável, por isso, opte sempre em oferecer a comida em mesas organizadas, e se for do hábito da família, coloque um fundo musical para o instante.

– Evite reprimir a criança nesta hora, assim como castigos ou qualquer assunto de caráter conflitante.

– Mantenha regularidade de horários das refeições, mas não é preciso ser inflexível em momentos pontuais.

– Nunca comentar que não gosta de determinada comida na frente da criança. Elas tendem a imitar os gostos dos adultos.

– Permitir que a criança ajude a produzir seu próprio cardápio e determine a quantidade que quer comer.

– Ofereça pequenas quantidades de cada vez, deixando com que a criança solicite mais.

– Procure variar a apresentação e forma de preparo dos alimentos que já foram recusados.

Renata Dessordi

Renata Dessordi é nutricionista formada pela Universidade de Ribeirão Preto, especialista em Nutrição Clínica e Esportiva. Mestra em Alimentos e Nutrição pela Unesp. Doutoranda em Alimentos e Nutrição pela USP/Unesp. Auriculoterapeuta Francesa.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: