Alimentação na insuficiência renal

A Insuficiência renal é caracterizada pela perda em maior ou menor grau da capacidade dos rins filtrarem resíduos, sais e líquidos do sangue. Quando isso acontece, os resíduos podem chegar a níveis perigosos e afetar a composição química do seu sangue. A insuficiência pode ser aguda ou crônica. Os sintomas mais comuns são inchaço das pernas, cansaço, vômitos, perda de apetite ou confusão. As complicações mais comuns são uremia, elevada concentração de potássio ou excesso de volume de sangue nas cavidades do coração. Entre as complicações da doença crônica estão também doenças cardiovasculares, hipertensão arterial ou anemia.

As causas mais comuns de insuficiência renal aguda são a diminuição da pressão arterial, bloqueio do trato urinário, alguns medicamentos, perda de músculo e síndrome hemolítico-urémica. As causas mais comuns de insuficiência renal crônica são nefropatia diabética, hipertensão arterial, síndrome nefrótica e doença renal policística. O diagnóstico da doença aguda geralmente baseia-se numa associação de fatores como diminuição da produção de urina ou aumento da quantidade de creatinina no soro. O diagnóstico de doença crônica geralmente baseia-se num valor da taxa de filtração glomerular inferior a 15 ou na necessidade de terapia de substituição renal.

O tratamento da insuficiência renal envolve a participação do médico e de toda a equipe de saúde, incluindo o nutricionista, pois a alimentação adequada contribui de diversas formas.

O cuidado nutricional deve ser feito por de uma alimentação equilibrada, individualizada. De forma geral, opta-se por uma dieta controlada em proteína e com baixo teor de sódio.

O ideal é procurar um nutricionista para o acompanhamento, já que na insuficiência renal o peso do paciente, idade, grau do comprometimento dos rins e equilíbrio bioquímico são fatores que fazem toda a diferença no planejamento do plano alimentar. A seguir algumas dicas que podem beneficiar os pacientes com problemas renais.

– Evite alimentos ricos em sódio como embutidos (salsicha, salames, mortadelas) ou carnes processadas, pois sódio em excesso é mais difícil de ser eliminado pelo organismo na Insuficiência Renal;

– Substitua o sal por suco de limão ou ervas para realçar o sabor dos alimentos;

– Converse com seu médico sobre o limite de água. Caso você precise limitar o consumo, evito o consumo em excesso de alimentos com maior teor de água como, por exemplo: leite, chá, café, sopas;

– Informe-se sobre como deve ser a ingestão de alimentos ricos em potássio como banana, mamão, tomate, abóbora, acelga, carne, batata, feijão. Na Insuficiência renal, em muitos casos, o excesso de potássio não pode ser eliminado e pode levar a complicações sérias na atividade muscular, como fraqueza ou cãibras e principalmente para o coração (parada cardíaca);

– Consuma de forma moderada os alimentos ricos em cálcio e fósforo como leite e derivados, carnes, ovos, legumes e a casca dos cereais. Na insuficiência renal, pode acontecer de o fósforo não pode ser eliminado na urina, ficando então acumulado no organismo;

– A quantidade que cada paciente tolera é variável. Ao consumir dê preferência a ovos, peixes, soja, pois a sobrecarga glomerular é menor que das outras carnes;

– Evitar o consumo de chá-preto, chá-verde, chá-mate e refrigerantes a base de cola.

Renata Dessordi

Renata Dessordi é nutricionista formada pela Universidade de Ribeirão Preto, especialista em Nutrição Clínica e Esportiva. Mestra em Alimentos e Nutrição pela Unesp. Doutoranda em Alimentos e Nutrição pela USP/Unesp. Auriculoterapeuta Francesa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *