Como uma boa alimentação pode melhorar a ansiedade, o estresse e a imunidade nesse período de Pandemia

A ansiedade e o estresse que todos estão passando, leva ao maior consumo de alimentos como carboidratos refinados e gorduras, ocasionando aumento no peso.

No atual período que estamos passando, redobrando os cuidados devido ao Covid-19, devemos priorizar o aumento da nossa imunidade. Bons hábitos de vida e uma alimentação equilibrada são os vitais para alcançar esse objetivo. O consumo de proteínas e nutrientes como selênio, ômega 3, zinco, magnésio, vitamina A, D e C impactam positivamente no sistema imune e em todo o organismo.

A ansiedade e o estresse que todos estão passando, leva ao maior consumo de alimentos como carboidratos refinados e gorduras, ocasionando aumento no peso, acúmulo de gordura no fígado, em alguns casos, e isso pode levar a alterações no funcionamento das células de defesa. Não existe uma alimentação que previna o contágio por vírus e bactérias, porém a boa alimentação melhora o funcionamento das células de defesa que se tornam mais aptas no combate dessas infecções.

Foto: Divulgação

Seguem algumas orientações rápidas sobre alimentação que podem ajudar a melhorar o sistema imunológico e passar a quarentena com uma alimentação saudável:

1 – Evite alimentos ultraprocessados, como biscoitos recheados, sopas e macarrão instantâneos, nuggets de aves e peixes, pizzas, molhos prontos, salgadinhos em pacote e fast foods entre outros. Eles são fonte de carboidratos e gordura saturada;

2 – Ingira todos os dias 1 castanha do Pará, ou 5 castanhas de caju ou 3 avelãs, pois eles são fonte de selênio, e adicione 2 damascos secos porque contêm a pró-vitamina A – os carotenoides;

3 – Use e abuse das frutas, legumes e verduras, mas não esqueça da higienização prévia. Eles contêm muitas vitaminas A e C, além de antioxidantes, que ajudarão a combater infecções;

4 – Beba bastante água. A manutenção do organismo hidratado favorece o sistema imunológico;

5 – Insira carnes ou ovos nas refeições, porque eles têm quantidade adequada de proteínas. Insira peixes, pelo menos em duas refeições semanais para aumentar a quantidade de ácido graxo ômega 3. Não faça preparações à milanesa ou à dorê;

6 – Prefira óleo de canola, girassol ou azeite;

7 – Elimine, ou diminua de sua dieta, a quantidade de alimentos ricos em gorduras, como embutidos, salsichas, mortadela, presunto, margarina, maionese, chantilly e queijos amarelos;

8 – Não substitua rotineiramente o almoço ou o jantar por lanches. Tente diminuir a ingestão de massas;

9 – Prefira o carboidrato integral. Ex: pão integral, macarrão integral, aveia, linhaça.

10 – Não prepare as refeições no micro-ondas, para não destruir alguns nutrientes dos alimentos, como vitaminas A, C e E, além dos ácidos graxos ômega 3, tão essenciais nesta época.

Renata Dessordi

Renata Dessordi é nutricionista formada pela Universidade de Ribeirão Preto, especialista em Nutrição Clínica e Esportiva. Mestra em Alimentos e Nutrição pela Unesp. Doutoranda em Alimentos e Nutrição pela USP/Unesp. Auriculoterapeuta Francesa.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: