Mudanças na temperatura

O problema nessa oscilação de temperatura é o choque térmico que o organismo é submetido e isso leva a mudanças na liberação de hormônios.

Nessa época do ano enfrentamos a transição do inverno para o verão, portanto é comum a temperatura oscilar entre o quente e o frio. Além disso, em dias quentes a busca pelo conforto térmico acontece frequentemente pela utilização do ar-condicionado. Como consequência, gripes, sinusites, amigdalites e outras doenças respiratórias podem surgir. Porém, não é o uso do ar-condicionado que faz mal e, sim, as variações bruscas de temperaturas, excessivamente quente ou fria, que são fatores de agravo para crises alérgicas.

Foto: Divulgação

O problema nessa oscilação de temperatura é o choque térmico que o organismo é submetido e isso leva a mudanças na liberação de hormônios. Esse desequilíbrio hormonal pode ocorrer com o tempo pela exposição ao quente e ao frio, levando ao desenvolvimento de alergias e prejudicando o sistema imunológico. O ideal é que quando a pessoa for de um ambiente quente para o frio coloque um agasalho e espere a temperatura do corpo equilibrar.

No carro evitar que as saídas de ar estejam direcionadas para o rosto, evitar extremos de temperaturas e manter a limpeza dos filtros, trocando a cada 10 km.

Sintomas como espirros, coriza, obstrução nasal e coceiras são sintomas de quadros alérgicos. Para melhorar o ressecamento das mucosas devido ao uso de ar-condicionado é essencial o uso de soro fisiológico e a ingestão adequada de água. 

Foto: Divulgação

Quando o organismo passa de um ambiente quente para o frio pode ocorrer:

– O coração bate mais devagar, privilegiando a circulação entre os órgãos vitais.

– A pressão aumenta.

– A respiração fica mais acelerada porque precisa aumentar o oxigênio no sangue.

– Para diminuir a perda de calor para o ambiente, o organismo aciona os pelos que se arrepiam.

– Alimentos e bebidas quentes funcionam como fontes externas de energia e hidratação.

– Agasalhos agem como isolantes térmicos, contendo a queda da temperatura.

 

Do frio para o calor:

– O rosto fica corado, mãos e pés inchados, porque para levar o sangue quente para os órgãos internos, há dilatação dos vasos sanguíneos.

– O coração bate mais rápido, acelerando a circulação do sangue.

– A pressão diminui.

– A respiração se intensifica.

– Para perder calor o corpo produz mais suor. Quanto maior a temperatura, mais as glândulas sudoríparas trabalham. Em excesso essa perda pode causar desidratação, por isso a ingestão de água é essencial.

Renata Dessordi

Renata Dessordi é nutricionista formada pela Universidade de Ribeirão Preto, especialista em Nutrição Clínica e Esportiva. Mestra em Alimentos e Nutrição pela Unesp. Doutoranda em Alimentos e Nutrição pela USP/Unesp. Auriculoterapeuta Francesa.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: