Harmonização com cerveja e comida

É comum ouvir falar que beber cerveja e comer ao mesmo tempo não dá certo porque “estufa”, ou que cerveja vai muito bem com amendoim e petiscos de boteco. Sem dúvida uma cerveja cai muito bem em dias quentes com comida de boteco. Afinal, quem não gosta dessa soma, não é mesmo? Mas podemos enriquecer ainda mais esse ato maravilhoso que é comer e beber!

Vamos começar a falar bastante sobre comida e cerveja. Mas antes, vamos falar, resumidamente, sobre alguns direcionamentos que podemos focar ao pensar em harmonização de cervejas especiais. Em primeiro lugar, é preciso deixar claro que não existe regras para pensar em harmonização e sim direcionamentos. Neste caso, alguns pontos podem influenciar como, por exemplo, seus gostos pessoais e memórias olfativas (aquilo que você cresceu comendo e a sensação de prazer ou desprazer que sente por determinados alimentos). Os direcionamentos básicos para harmonização são:

Situação de similaridade: quando elementos da comida e da bebida são muito parecidos e por isso causam uma sensação de conforto. Por exemplo: cervejas que apresentam notas de caramelo, chocolate ou café harmonizam com doces que tenham chocolate;

Situação de corte: quando a cerveja tem a função de cortar ou amenizar a sensação que o alimento deixa no paladar. Por exemplo: alguma comida gordurosa com uma cerveja bastante carbonatada, pois o gás auxilia na limpeza da sensação de gordura na boca;

Situação de contraste: como o próprio nome diz é misturar sabores distintos, como: doce com amargo, ácido com doce, picante com refrescante… e nesse caso os opostos se atraem e provocam uma sensação prazerosa;

Situação de equilíbrio ou complementação: muito parecido com as situações de similaridade, mas que agregam algo a mais no paladar quando se unem. A explosão de sabores soma e muitas vezes acrescenta uma terceira nota à degustação.

Devemos nos atentar ao ponto focal para escolher qual cerveja indicar para determinado prato. Potência alcoólica é um ponto que devemos levar em consideração assim como estilo. São muitos os cuidados que devem ser pensados. Para os alimentos devemos pensar no tempero que mais se sobressai, o ponto do cozimento, modo de preparação, pois tudo isso influencia na experiência. Atente-se à um ponto focal de partida e siga esses direcionamentos. Ainda assim a experiência é passível de erro, afinal estamos lidando com o paladar humano e gostos pessoais, mas as chances de acertar e promover uma experiência de sucesso são grandes.

Na prática

A cerveja escolhida foi a Isseki Nichõ. Uma cerveja no estilo Imperial Dark Saison da cervejaria canadense Dieu du Ciel. Essa cerveja, em especial, estava com 2 anos de guarda, potencialmente alcóolica, com um teor de 9,5%; não filtrada e refermentada na garrafa. Ela apresenta um aroma com notas tostadas e também um leve aroma remetente a frutas secas, (escuras) baunilha, cacau e café. Na boca a sensação é de picância e toffee, com um final seco e doce. Quanto maior a  temperatura, mais as notas e sabor se sobressaem. Bem carbonatada, espuma marrom escura e persistente. Para acompanha-la, usamos petiscos de queijo tipo gorgonzola, canapé com patê de lemon pepper, canapé com patê de azeitona verde e damasco seco.

A primeira recomendação é harmonizar com o gorgonzola, pois existe uma explosão de sabores ao unir a potência do queijo com essa cerveja. A sensação é incrível; de complementação. O patê de lemon pepper acrescenta à cerveja uma sensação prazerosa de gaseificação na boca quando se une a potência da cerveja com a criticidade do Lemon Pepper. Apesar da bebida não apresentar notas cítricas e sim tostadas, um terceiro sabor surgiu com força, que é a citricidade causada pelo limão, pimenta e carbonatação. Aqui podemos definir como uma sensação de contraste e complementação.

O sabor do patê de azeitona verde ficou neutro com a cerveja, talvez se tivéssemos tentado algo com mais corpo, como azeitona preta, poderia ter dado certo. Já com os damascos foi um perfeito casamento de picâncias. A textura macia do damasco se uniu muito bem à cerveja cremosa. Pela textura e citricidade da fruta, podemos dizer que houve uma sensação de corte sutil, mas muito bem-vinda.

É isso, entre tentativas, erros e acertos, esse tipo de atividade é muito prazerosa. O comer e beber bem, prestar atenção aos sabores é algo maravilhoso que é recomendado a todos!

Cheers e boun apetito!

Autor

Karina Hauch

Publicitária e beer sommelière. Apaixonada por cerveja, fábricas e mundo cervejeiro. Adora conhecer novos rótulos e experiências gastronômicas. Sonha viajar o mundo em busca de cervejarias e acumular experiências em horas-copo.

Um comentário em “Harmonização com cerveja e comida

  • 23 de outubro de 2018 em 13:47
    Permalink

    Sensacional!!! Para cada estilo ligada a alimentação, a temperatura da cerveja tbm interfere no paladar?

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *