Janeiro Branco

Olá, meu nome é Mayara. Fique à vontade NO DIVÃ e vamos falar sobre psicologia.

O ano de 2018, mais do que qualquer outro, foi marcado por diversas tonalidades que caracterizaram o passar de seus meses.

Outubro rosa, novembro azul, setembro amarelo, estes são alguns exemplos de campanhas veiculadas pelo Brasil e o mundo a fim de chamar a atenção e conscientizar a população sobre a importância do cuidado a saúde e a priorização da vida.

Em 2019, esta proposta se mantém com força e inicia-se com a cor branca.

Intitulado JANEIRO BRANCO, o primeiro mês deste ano busca trazer à tona questões que envolvem a saúde mental, fazendo com que este tema seja visto, compreendido e cuidado da melhor forma possível, a fim de prevenir o adoecimento emocional da humanidade.

Atualmente ainda é possível observar uma grande resistência por parte do ser humano em conseguir atentar-se ao que é invisível aos olhos, como o seu lado emocional. Nota-se que este aspecto da saúde, na maioria das vezes, é tido como algo secundário, que não precisa ser cuidado e em algumas situações, nem ao menos comentado.

Apesar disso, sabe-se que o ser é constituído por imenso conteúdo psicológico e subjetivo. A vida humana é estruturada a partir de questões sentimentais, racionais, mentais, relacionais e comportamentais, sendo assim, é de extrema importância que as necessidades psicológicas do ser não sejam desprezadas, mas sim priorizadas.

Diante disso, trago um questionamento:

Por que procuramos um médico de forma imediata quando nos machucamos ou sentimos alguma dor intensa em qualquer parte de nossos corpos, mas hesitamos em procurar ajuda quando a dor que emana de nós parece ser algo inexplicável, algo que vem de dentro e que, muitas das vezes, nos causa um grande desconforto e até mesmo um forte aperto no peito? Por que ignoramos os pensamentos indesejados e involuntários que não saem de nossa cabeça e fingimos não ter comportamentos desviantes sendo que estes nos perturbam, dia após dia, enquanto lutamos exaustivamente e erroneamente para esquecê-los e não para trata-los? Por que negligenciamos a nós mesmos?

Isso precisa mudar!

É imprescindível que o olhar voltado ao ser humano seja integral e biopsicossocial. Cuidar da mente é tão importante quanto cuidar de um braço quebrado, ou de um ferimento qualquer originado de um acidente. As individualidades e subjetividades do ser carecem de atenção e, diante dessa falta, torna-se cada vez mais rotineiro observar pessoas lutando, em vão, por uma vida completamente saudável.

Uma vida saudável provém de uma luta dirigida ao que está dentro e fora de nós. Ao que é palpável e ao não palpável, ao corpo e a mente. Expor à sociedade a importância do cuidado psicológico, ou melhor, o cuidado ao que é invisível aos olhos, mas “reluzente” em nós enquanto seres humanos é o objetivo principal do projeto “JANEIRO BRANCO”, pois, a partir do momento em que você se atenta às questões “de dentro” fica mais fácil compreender e se distancia do adoecimento.

Seja JANEIRO BRANCO você também, não negligencie a si mesmo, abrace essa causa, pois buscar ajuda nunca foi sinal de fraqueza, mas sim de coragem.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: