Só me restou o horror!

Eu havia acabado 

de escrever uma poesia, 

e ainda estava envolta 

naquela doce magia.

Querendo compartilhar 

aquele doce sentimento, 

fui correndo para ele

ali naquele momento.

Mas quando abri a boca 

para meu poema ler, 

foi tão dura a sua voz 

que fez-me emudecer.

Ele disse que não queria 

que eu lesse o poema, 

pois não gostava de poesia 

fosse qual fosse o tema.

Naquele instante, a magia 

foi se desfazendo em mim, 

e a única coisa que me restou 

foi por ele um horror.

Irene Coimbra

É professora, escritora, poeta, produtora e apresentadora do Programa “Ponto & Vírgula” na TV MAIS RIBEIRÃO. Fundadora da Revista Ponto & Vírgula em Ribeirão Preto.  Editora e Promotora de Eventos Literários.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: