Abraço de Deus

E nessa sexta-feira temos a segunda história da Coluna “Preces de Esperança”. Vale a pena conferir!

– Padre, que bom que o senhor está aqui! – respirou ela aliviada.

Interessante observar como o significado da presença do padre é importante. Não somente para os profissionais da saúde, mas para todos aqueles que enxergam nesse ser humano um atalho para estar mais próximo de Deus.

Os dois enfermeiros ficaram conversando por alguns minutos com Padre Josirlei enquanto o paciente que cuidavam estava no banho. O assunto era o estarmos vencendo aos poucos a Pandemia, o avanço e o resultado da vacinação, a situação sendo amenizada, mesmo com algumas pessoas ainda hospitalizadas…

– Nossa, estou com muito frio! – ela diz, interrompendo o diálogo.

Não era um dia tão frio em Ribeirão Preto, sempre com temperaturas mais elevadas.

– Preciso me aquecer! – continua.

O enfermeiro, pronta e instantaneamente, a envolveu em um abraço.

O padre congelou no tempo a cena e, em sua reflexão, fez um valioso questionamento: será que era somente o frio ligado a fatores biológicos que ela sentia ou será que aquela sensação de frio era a expressão de sua fragilidade frente a tanta angústia, medo, sinal de esgotamento físico e mental, que a fazia carente de afeto, de amor, de aconchego, de proteção?

Foto: Arquivo Pessoal

Uma palavra, um gesto, um carinho… É sempre possível fazer um pouco a mais pelo nosso próximo. Foi o que o colega de trabalho daquela enfermeira fez. Ofereceu seus braços para aquecê-la. E isso não tem a ver com ser melhor ou querer melhor. Atitudes assim denotam quão mais humanos temos a capacidade de ser, quão simples é acolher um irmão que às vezes precisa de tão pouco pra ter de volta a calma, o ânimo, a segurança, a dignidade…

Quando temos a sensibilidade de captar ecos dos nossos irmãos em nós, somos tomados pela empatia e pela compaixão, tornando-nos peças fundamentais que completam o quebra-cabeça da nossa existência.

Acerca dessa experiência, Padre Josirlei relembra um pensamento e o parafraseia: podem existir invernos, podem existir ventos contrários, podem existir tempestades, mas nunca estarei sozinho. Deus está sempre ao meu lado.

É esse o Deus que nos envolve em Seu abraço e nos traz calma, aconchego, amor e o calor a nos aquecer.

Capelão Pe. Josirlei e Lucimara Souza

Recortes da realidade que suscitam esperança, fé e amor. Experiências vividas pelo Capelão Pe. Josirlei, traduzidas por Lucimara Souza.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: