Vinhos Que Custam Quase Um Carro

Na semana passada foram levantados alguns Erros comuns de quem bebe vinho. Dentre os pontos destacados, o primeiro foi o Preço do Vinho. Lá eu disse, basicamente, que comprar um vinho tendo em vista somente o valor monetário dele nem sempre é uma boa ideia.

Obviamente que se você tem condições de comprar coisas boas e mais caras, não tem problema algum em fazer isso, desde que de forma consciente. Saber o que se está comprando e o porquê do valor são importantes para não gastar dinheiro à toa.

Recebi um feedback sobre esse assunto, com um texto que segue abaixo, falando dos vinhos mais caros do mundo. Aqueles que provavelmente só irei ver em vitrine ou em foto, já que custam o mesmo que um carro usado ou uma moto 0km. Os mais em conta, ficam próximo ao iPhone X.

Alguns dos Rótulos de Vinhos Mais Caros

Vários fatores influenciam no preço de um vinho, como o tempo que eles demoram para atingir sua maturidade, a região de produção, a quantidade de garrafas de cada safra, as uvas utilizadas e as avaliações dos críticos.

Os vinhos seguintes são alguns dos mais caros do mundo. Os preços podem variar, mas eles costumam ficar nessa faixa:

Château Petrus 2000 (França) – R$ 26.834

Château Petrus 2000 (França)

Uvas colhidas manualmente durante a tarde, para que a umidade da manhã não interfira na qualidade dos bagos. Fermentação prévia em cubas de cimento e posterior em barricas novas de carvalho francês.

Esse é um processo muito cauteloso, que ajuda a entender o valor do Château Petrus, safra 2000. Não é à toa que ele é um mito, um dos mais raros – e também mais caros – do mundo dos vinhos.

Com 98 pontos de Wine Enthusiast e 97 pontos de Robert Parker, esse é um rótulo com aroma de frutas maduras e carnudas, até notas especiadas e de chocolate, que se combinam em um bouquet simplesmente encantador.

A harmonização desse rótulo é ótima com carnes e pratos da alta gastronomia, mas não é de se espantar se quem for consumí-lo quiser ter uma experiência individual, apenas a pessoa, o vinho, o decanter e a taça, para eternizar esse momento na história.

Château Petrus 2014 (França) – R$ 13.900

Château Petrus 2014 (França)

Se a safra 2000 foi um grande sucesso, era de se esperar que ele se repetisse em outros pontos da história, e o Château Petrus 2014 é a prova tão esperada de que as casas que sabem fazer bons vinhos não se esquecem disso.

Com características muito similares ao seu irmão mais velho, embora com menos tempo de vida, recomenda-se que o vinho repouse em sua garrafa por, pelo menos, 10 anos, uma espera que valerá a pena.

A máxima de que vinhos melhoram conforme ficam mais velhos não se aplicam a todos os casos, mas esse é um dos que confirmam a afirmação, já que pode evoluir por décadas e se tornar uma bebida ainda mais fantástica do que já é.

Todas as suas características renderam uma avaliação de 95 pontos de Wine Spectator a esse rótulo.

Pingus 2014 (Espanha) – R$ 10.290

Pingus 2014 (Espanha)

Você já deve ter ouvido falar que existem pontuações para os vinhos, de acordo com o seu sabor, analisado cautelosamente pelos críticos mais famosos de todo o mundo. Essa classificação também ajuda na valorização dos rótulos.

O tinto espanhol Pingus sabe muito bem disso, já que recebeu 100 pontos, ou seja, a nota máxima, de dois críticos super conhecidos: James Suckling e Robert Parker.

Esse é, sem sombra de dúvidas, um dos vinhos mais incríveis de todo o mundo. Parte do preço tão alto se dá pela escassez da safra, já que as uvas Tempranillo usadas são provenientes de apenas 5 hectares, com rendimento de 1.100 litros cada.

Considerado um vinho de garagem, apenas 500 caixas foram produzidas e distribuídas pelo mundo. O resultado é um sabor indescritível, capaz de agradar, literalmente, até os paladares mais críticos.

Château Lafite Rothschild 1999 (França) – R$ 8.493

Château Lafite Rothschild 1999 (França)

A França possui rótulos incríveis, desenvolvidos com tudo aquilo que deve estar presente em um vinho de ponta, e o Château Lafite Rothschild é o exemplo perfeito.

Com uma encantadora cor rubi e notas de frutas silvestres, café e amêndoas, o aroma é um caso à parte, capaz de abrir o paladar da melhor maneira possível para receber os goles deste ótimo vinho.

Na boca, ele apresenta um sabor complexo, que lembra a frutas silvestres picantes. Certamente, quem experimentar esse tinto jamais se esquecerá dele. O crítico Robert Parker deu 95 pontos a esse vinho incrível.

Pingus 2012 (Espanha) – R$ 7.677

Pingus 2012 (Espanha)

O Pingus safra 2012 é mais uma das obras-primas de Dominio de Pingus. Com processo de produção similar ao que vimos anteriormente, a diferença é que essa safra é 2 anos mais antiga.

As parreiras foram plantadas no ano de 1929, ou seja, são 83 anos de história engarrafados em 750ml de uma bebida simplesmente maravilhosa, que serve como objeto de desejo para os amantes de vinho de todo o mundo.

Essa safra recebeu nota máxima de Robert Parker, o que com certeza ajuda a valorizar o rótulo e torná-lo ainda mais exclusivo e especial.

Emir Freiberger

Formado em comunicação social com habilitação em jornalismo. Pós graduado em artes visuais, trabalha entre o mundo das artes e programação de sites e programas web.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *