Como reduzir a halitose através da alimentação

A halitose ou mau hálito trata-se da eliminação de odores desagradáveis pela boca que podem ser provenientes da respiração ou da própria boca. Esse problema pode ser desencadeado por fatores relacionados aos hábitos alimentares, má higiene oral, jejum prolongado, baixo fluxo salivar ou decorrente de problemas renais, hepáticos ou diabetes.

Quando acordamos, o mau hálito nesse período está relacionado a hipoglicemia que ocorre devido ao jejum noturno, ao menor fluxo de saliva e consequentemente a maior quantidade de bactérias, o que é normal. Quando o mau hálito persiste ao longo do dia e não está relacionado a nenhuma doença, ele pode ser de origem alimentar, pois alguns alimentos podem predispor a halitose. Uma alimentação rica em alimentos proteicos e gorduras, pode alterar os tipos de bactérias presente na boca. As bactérias proteolíticas (que utilizam proteínas), se alimentam de células de descamação da mucosa oral, processo pelo qual gera a liberação de enxofre e causa mau hálito. Em contrapartida, pessoas que ingerem uma diversidade maior de alimentos, com boas quantidades de verduras e legumes, possuem menor chance de desenvolverem este problema, pois as fibras presentes nesses alimentos ajudam a melhorar o funcionamento gastrointestinal e assim reduz a proliferação de bactérias na cavidade oral.

As pessoas que possuem esse problema mais acentuado devem estar atentas a alimentos que já possuem um odor mais intenso ou que tem um processo digestivo mais lento, levando a formação de gases e consequentemente piorando a halitose. Dentre esses alimentos estão o alho, cebola, couve de bruxelas, couve-flor, alcachofra, queijos, frituras, azeitonas, ovos, goiaba, mamão, cravo da índia, cominho, pimenta, maionese, salame, presunto, mortadela, sardinha e bebidas alcoólicas. Um alimento que é muito recomendado para os casos de halitose é a maçã, rica em fibras e além disso estimula a salivação.

A boa produção de saliva é essencial para a redução do mau hálito, pois ela é responsável pela manutenção do PH bucal adequado e equilibra os níveis de oxigênio, portanto quando há problemas na produção de saliva pode ocorrer odores desagradáveis na boca pela ação das bactérias anaeróbias. A baixa produção de saliva requer cuidados médicos e a pessoa precisa manter uma alta ingestão de líquidos e dar preferência a alimentos mais úmidos e cremosos.

Contudo, a maior porcentagem de casos de halitose estão relacionados a má higiene bucal. Não escovar adequadamente os dentes, a língua e a bochecha, faz com que ocorra acumulo de resíduos, os quais sofrem deterioração e geram odores desagradáveis. Portanto, deve-se ter atenção com a higiene bucal, alimentação e ingestão adequada de líquidos.

Autor

Renata Dessordi

Renata Dessordi é nutricionista formada pela Universidade de Ribeirão Preto, especialista em Nutrição Clínica e Esportiva. Mestra em Alimentos e Nutrição pela Unesp. Doutoranda em Alimentos e Nutrição pela USP/Unesp. Auriculoterapeuta Francesa.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: