O meio cervejeiro é colaborativo!

Hoje vou falar um pouco sobre o mercado cervejeiro e os meios de sobrevivência nele. Apesar de estarmos em constante crescimento e previsões positivas, sabemos que apesar dos hábitos de consumo estarem evoluindo em relação às cervejas artesanais, o poder de compra de muitos não acompanha a vontade de consumir bons rótulos.

Infelizmente, acompanhamos um cenário em diversas cervejarias de estoques parados e clientes com sede de consumir bons produtos. Mas claro, estamos vivendo um período de restrição financeira em que a cesta básica de compra de cervejas mensais vem caindo.

A cada dia nasce uma nova cervejaria e isso é ótimo! Mais produtos bons no mercado. Porém, seguimos dividindo o mesmo público. O mesmo amante da minha cerveja será, muito provavelmente, o mesmo amante da sua. E o que fazemos? Nos unimos!

O mais legal no meio cervejeiro, bem diferente de outros mercados, é a prova de que a união faz a força. Não à toa, temos Polos Cervejeiros sendo criados em diversos locais do país.  E resultados dessa união são excelentes, tais como: cervejas colaborativas e excelentes eventos que provamos que juntos, todos podem ter sucesso. Amizade na concorrência sim.

Se eu trabalho há 2 anos na mesma cervejaria, da qual tenho um enorme carinho, pois é minha segunda casa, mas meu amigo da outra cervejaria promove um evento ou lançamento, com muito orgulho irei prestigiar. É muito bacana chegar sozinho em qualquer uma das cervejarias que costumo ir e encontrar a mesma galera que frequenta a minha. É gratificante, é como se em qualquer um desses lugares, você pode se sentir no quintal de casa.

Tem malte, água, lúpulo, levedura e público para todos. Basta saber respeitar, promover união, e de novo como eu falei no primeiro texto e repito sempre: respeitar! Você pode ter sua preferida em meio a tantas opções, todos têm. Mas isso não te dá o direito de falar mal do trabalho alheio. E para aqueles que não compreendem sobre a importância da união e navegam contra essa maré, eu lamento, mas as chances de sobrevivência nesse meio (que de glamoroso só tem fama) são bem menores. É uma questão de estudo de mercado e de um pouco de humanidade também.

Quando viajar, escolha beber local. Além do conhecimento de novos rótulos e chance única de provar aquela cerveja, você contribui para o mercado local.

Beba as importadas quando tiver oportunidade, mas não deixe de apreciar as cervejarias locais.

Por mais rótulos e receitas colaborativas.  Por mais Polos Cervejeiros.

Saúde de copo cheio, amigos!

Karina Hauch

Publicitária e beer sommelière. Apaixonada por cerveja, fábricas e mundo cervejeiro. Adora conhecer novos rótulos e experiências gastronômicas. Sonha viajar o mundo em busca de cervejarias e acumular experiências em horas-copo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *