“Às vezes as pessoas nos julgam sem ao menos nos conhecer”

O cravinhense, Juninho Nunes, começou a trabalhar logo cedo como ajudante de tapeçaria, depois foi ser garçom, passou por fábrica de confecção e atualmente é vigilante patrimonial.

Hoje (07/04) apresentamos a décima quinta história da nossa série de reportagens “Personagens de Cravinhos”. O projeto consiste em mostrar, um pouco das pessoas que levam o nome da cidade por todos os cantos do mundo, bem como se destacam no próprio município, com seus empreendimentos, talento, simplicidade e carisma.

E vamos contar a história do vigilante patrimonial, Antônio Carlos Nunes Júnior, o popular Juninho Nunes, que começou a trabalhar com 12 anos de idade como ajudante de tapeçaria. Depois foi garçom no CTC (Cravinhos Tênis Clube) e na Quadra Irmãos Ribeiro até os 16 anos, empregos esses que lhe renderam boas e muitas amizades.

“Com 16 anos entrei na fábrica de costura, antiga JOMA Confecções, em que permaneci na mesma por nove anos até eles fecharem, se não estaria lá até hoje [risos]. Aprendi muito ali e sou grato a toda família Cardoso, em especial o João e o Márcio que sempre me ajudaram muito”, explica Juninho Nunes.

O popular Juninho Nunes já está há 9 anos atuando como vigilante patrimonial
Foto: Arquivo Pessoal

Fechada a “Fábrica do Cardoso”, Nunes, atualmente com 34 anos, foi em busca de um novo emprego, foi quando fez o curso de Segurança, se formou e atua na área há 9 anos.

“E o mais inusitado estou há nove anos trabalhando no mesmo lugar, período noturno (Condomínio Residencial), como vigilante condutor (rondas de moto)”, conta Juninho.

E nessa semana a nossa reportagem esteve com Juninho Nunes em um bate-papo bem descontraído, em que ele contou sobre sua profissão, como tem encarado ser digital influencer, o que acha da cidade de Cravinhos, e muito mais. Acompanhe!

Um momento de Juninho Nunes com sua família
Foto: Arquivo Pessoal

InterTV Web – Você tem uma história ligada com Cravinhos. O que a cidade significa pra você?

Juninho Nunes – Costumo dizer que nossa cidade é maravilhosa, nosso povo em sua grande maioria é sensacional, isso nos faz uma cidade acolhedora de gente humilde, eu acho que me enquadro nesse meio, pois fui criado assim. Minha mãe me ensinou muitos valores, tratar as pessoas bem e igual sem distinção, e aqui em Cravinhos parece que tem essa essência, por isso todos que aqui chegam não querem mais ir embora.

InterTV Web – Muitas pessoas te chamam de “polêmico”. Por que acha que acontece isso?

Juninho Nunes – Ah [risos] eu me entendo como “digital influencer”, porque está na moda… brincadeira! Creio que me chamam de “polêmico”, por muitas vezes escrever o que penso. Embora poucas vezes eu me arrependo, não consigo ver certas coisas e me calar. Mas esse é meu jeito, qualquer hora “nego” me bate na rua [risos].

InterTV Web – A página do Cravinhos Mil Grau é relacionada a sua pessoa. Você tem alguma participação na Página? Qual seria?

Juninho Nunes – Muita gente afirma isso, mas eu conheço os meninos lá e eles preferem o anonimato [risos]. Na minha opinião fazem um bom trabalho, são amados pela população, aliás mais amados do que odiados [risos]. Acho que por isso crescem a cada dia. Teria sim orgulho se caso um dia fizesse parte, como disse prestam um bom serviço pra cidade.

‘Uma coisa que eu acho que falta aqui, que eu gostaria muuuuitoooo, mas muito mesmo, seria uma Maternidade’
Foto: Arquivo Pessoal

InterTV Web – Qual a história mais marcante que você tem com a cidade de Cravinhos?

Juninho Nunes – Em particular não consigo citar uma específica, mas eu gosto muito de Carnaval sabe, e os desfiles na Rua XV de Novembro eram foram de série tinham uma atmosfera especial. Eu como integrante do Viegas, contava os dias pra descer a Rua XV fazendo aquele samba de responsa, com a galera concentrada ali na Rodoviária antes de descer. Cara como era bom, pena que tudo um dia acaba, né? Mas torço muito pra que um dia volte!

InterTV Web – Qual presente você daria para Cravinhos?

Juninho Nunes – Uma coisa que eu acho que falta aqui, que eu gostaria muuuuitoooo, mas muito mesmo, seria uma Maternidade, onde poderíamos atender melhor essas futuras mamães que as vezes sofrem muito, pois tem que se deslocar, muitas vezes com dor, pra Ribeirão Preto. Se tivéssemos aqui seria bem melhor, mas creio e acredito que um dia a gente chega lá, se Deus quiser!

InterTV Web – Já te chamaram para ser candidato a vereador. Por que não aceitou?

Juninho Nunes – Sim chamaram, mas como eu comentei com alguns amigos mais próximos, acho que ainda não estou pronto pra isso, sabe quando você sente que não é a hora? Cheguei até me filiar mas desisti, minha família acha que eu tenho que ir pra cima [risos], me fritam até, mas quem sabe em 2024 a gente não muda a cabeça.

InterTV Web – O que você mudaria na cidade de Cravinhos?

Juninho Nunes – Boa pergunta, como eu disse anteriormente aqui é uma cidade boa de se morar. Precisa melhorar? Claro! Sempre podemos melhorar e evoluir, moradias parece que já estão a caminho, mas também gostaria que tivéssemos uma Guarda Municipal pra apoiar a nossa Polícia Militar. ‘Chegaria’ mais firme também nessas pessoas mal-educadas que jogam lixos e entulhos nas ruas, achando que a Prefeitura tem “obrigação” de limpar a sujeira deles, são mal acostumados, acho que se conseguíssemos melhorar e obter esses três fatores, beirávamos a “perfeição” [risos].

Juninho Nunes e seu filho Tiago são apaixonados pelos tradicionais Carnavais de Rua, que aconteciam tradicionalmente na Rua XV de Novembro
Foto: Arquivo Pessoal

InterTV Web – Você é um cara que não tem tempo ruim para trabalhar. De onde vem essa vontade?

Juninho Nunes – Muito obrigado, levei como elogio essa pergunta [risos]. Comecei desde pequeno a ter minhas responsabilidades, tenho como espelho meu pai que sempre foi muito honesto e trabalhador, e claro a minha falecida mãe que também sempre trabalhou e gostava das coisas corretas, e que sempre nos criou com “rédeas curtas”, então como não seguir um bom caminho.

InterTV Web – Como você tem reagido a Pandemia de Coronavírus?

Juninho Nunes – Como pode um vírus desse conseguir quase “parar” o mundo? Mas assim, como no meu trabalho não afetou em nada, não mudou minha rotina, mas fico triste pelas mais de 300 mil mortes, e também porque nossos governantes transformaram tudo isso em política. Quantos comércios fechados, quantos pais de família desempregados, pessoas passando fome. Muito triste, mas vamos sair dessa, em nome de Jesus!

Os pais de Juninho Nunes sempre lhe trouxeram em “rédeas curtas”, e com isso ele ganhou responsabilidade desde adolescente
Foto: Arquivo Pessoal

InterTV Web – Como você tem analisado a política de Cravinhos?

Juninho Nunes – Kennedy, as pessoas me chamam de ‘puxa-saco’, mas meu amigo, nós que somos nascidos e criados aqui, não podemos negar o tanto que essa cidade se desenvolveu O José Carlos Carrascosa dos Santos (Boi) foi um excelente administrador e conduziu como ninguém esse desenvolvimento e trabalhou bastante. Claro que prefeito é funcionário do povo, mas parabenizo e agradeço muito pelos serviços prestados, entretanto como eu disse: podemos evoluir.

Eu apoiei o Itamar Bueno e o Márcio Barroso, porque os conheço pessoalmente e acredito na competência de ambos em dar continuidade nesse legado deixado pelo Boi, são filhos da terra e capazes, torço pra que continuem trabalhando muito!

InterTV Web – Suas considerações finais.

Juninho Nunes – Agradeço pela oportunidade dada por você aqui na InterTV Web, em participar dessa entrevista e falar um pouco de minha história e o que penso. As vezes as pessoas nos julgam sem ao menos nos conhecer. Mas faz parte!

E pra finalizar gostaria de parabenizar você pelo seu profissionalismo em seu trabalho e empenho no que faz, pessoa que admiro muito (embora você torça pro Corinthians, mas ninguém é perfeito [risos]). Grande Abraço!

Kennedy Oliveira

É formado em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pelas Faculdades COC (atualmente Estácio). É pós-graduado em Comunicação: linguagens midiáticas, pelo Centro Universitário Barão de Mauá.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: