Carta de Demissão

Quando você, furioso, me chamou de idiota,

Senti dentro de minh’alma grande reviravolta.

 

Ao invés de revidar como antes eu fazia,

Deixei-o extravasar a revolta que sentia.

 

E enquanto me acusava de ser doente mental,

Em silêncio eu ouvi o que disse até o final.

 

Felizmente acordei de minha letargia,

Não sou mais a idiota que antes conhecia.

 

E para lhe provar que aprendi a lição,

Junto com esse poema vai minha carta de demissão.

 _ . _

Do Livro: “Entre Poemas” – Pag. 14 – Irene Coimbra

Irene Coimbra

É professora, escritora, poeta, produtora e apresentadora do Programa “Ponto & Vírgula” na TV MAIS RIBEIRÃO. Fundadora da Revista Ponto & Vírgula em Ribeirão Preto.  Editora e Promotora de Eventos Literários.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: